Informações sobre o vírus Monkeypox

Informações sobre o vírus Monkeypox

Ainda a recuperar dos efeitos avassaladores duma pandemia, surge nova fonte de preocupação, a varíola dos macacos. Apesar da nomenclatura, primatas não são os agentes causadores da doença, portanto, não representam ameaça à saúde humana. Sobre a Infeção Humana por vírus Monkeypox (VMPX), a TRASESA reforça a importância de obter informação atualizada, baseada na evidência científica e utilizando  fontes de informação oficiais. Saiba como evitar ser-se infetado.

 

COMPREENDER A INFEÇÃO HUMANA POR VMPX

É uma zoonose porque aquando da descoberta do vírus Monkeypox (1958) foram identificados vários mamíferos (roedores e macacos). A transmissão do VMPX dos animais para as pessoas pode ocorrer através de mordidas ou arranhões ou por contato direto com a carne ou fluidos do animal. Sendo uma doença zoonótica pode transmitir-se de animais para humanos.

 

SINAIS E SINTOMAS

A infeção humana apresenta-se de início súbito com o aparecimento de pelo menos um dos seguintes sinais e sintomas:

  • Exantema (lesões na pele ou mucosas)
  • Queixas ano-genitais (incluindo úlceras)
  • Febre (>38,0ºC)
  • Dores de cabeça
  • Cansaço
  • Dores musculares
  • Gânglios linfáticos aumentados, poucos dias antes da erupção de lesões que atingem pele e mucosas ou em simultâneo

 

DURAÇÃO

Se uma pessoa estiver infetada, os sintomas ou sinais da doença podem aparecer entre 5 e 21 dias após exposição ao vírus. Estes sinais e sintomas, geralmente, duram entre duas a quatro semanas e desaparecem por si só, sem tratamento.

 

EXPOSIÇÃO À INFEÇÃO HUMANA POR VMPX

Após a exposição a uma pessoa com infeção, e na AUSÊNCIA de sinais ou sintomas deve-se, durante 21 dias:

  • Estar atento ao surgimento de qualquer sintoma geral ou lesão cutânea ou mucosa;
  • Evitar o contacto físico próximo, incluindo relações sexuais (durante 21 dias);
  • Lavar as mãos com mais frequência e reforce medidas gerais de higiene;
  • Avaliar a temperatura corporal duas vezes por dia.

Na PRESENÇA de qualquer sinal ou sintoma, deve-se:

  • ligar para o SNS 24 (808 24 24 24) ou
  • procurar os cuidados de saúde mais próximos que lhe permitam, de forma atempada, ter uma avaliação clínica e orientação para realização e análises laboratoriais
  • informar  os profissionais de saúde  da eventualidade de contacto físico próximo com uma pessoa infetada ou com suspeita de infeção

 

A 23 de Julho a OMS declara o surto atual como uma Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional.  Esta declaração veio reforçar a importância das medidas tomadas em Portugal para a deteção precoce de casos suspeitos, a confirmação laboratorial, a partilha de informação sobre a doença, a necessidade de isolamento de pessoas infetadas e a proteção dos seus contactos próximos.

Share this post